Rede dos Conselhos de Medicina

DIA DO MÉDICO


DIA DO MÉDICO.

COMEMORAR APESAR DOS PESARES E “APESARES”

O dia 18 de outubro, Dia do Médico, nos remete a muitas reflexões.

Primeiramente, a escolha da data evoca a figura de um médico que, apesar de ter herdado a fortuna de um tribuno romano e ser admirado e convidado por César para ser o chefe do serviço médico romano, mesmo com a recusa continuou nas graças do imperador, pela sua dignidade e honradez e por sua dedicação ao atendimento das pessoas pobres dos países ao longo do Mediterrâneo. Lucano tornou-se São Lucas, festejado em 18 de outubro.

Poucos séculos antes de Lucas, o Mestre de Cós já enfatizava a virtude como a principal característica daqueles que se candidatavam ao exercício da Medicina, por ser missão nobre e exigente em aspectos morais e éticos.

Ao longo dos milênios, a ciência médica foi uma das que mais progrediram e contribuíram para o bem-estar da sociedade e o progressivo aumento da expectativa de vida da humanidade, com o combate às doenças infecciosas e degenerativas e o incremento de tecnologia cada vez mais expressiva na prevenção e tratamento dos agravos à saúde. Como elemento central e linha mestra dessa caminhada continua a figura do médico virtuoso e dedicado, que não deve se deixar asfixiar pelo aparato tecnológico e, assim, perder a boa consciência da relação médico-paciente.

Médico e tecnologia devem caminhar juntos, assim como os princípios bioéticos da autonomia e da justiça nos ensinam que médico e paciente também.

Neste dia 18 de outubro de 2018, apesar da importação de profissionais de qualificação duvidosa para o atendimento de nossa população mais carente (não registrados nos CRMs), apesar da abertura indiscriminada de escolas médicas (que, em muitos casos, poderão comprometer a qualidade da formação de nossos futuros médicos), apesar da campanha difamatória que procura culpar o médico pelas falhas oriundas da má gestão e da corrupção, apesar de muitos pesares e “apesares”, ainda podemos e devemos comemorar o dia do profissional que sacrifica a vida pessoal e familiar, que põe em risco sua segurança e sua saúde, que luta com o seu empenho e contra todas as adversidades para exercer com dignidade e zelo a profissão de médico.

Aos médicos registrados no Conselho Regional de Medicina do Estado do Pará (e nos demais CRMs), nosso agradecimento por sua atuação, acompanhado de votos de sucesso e felicidades.

Manoel Walber dos Santos Silva

Presidente do CRM-PA