Rede dos Conselhos de Medicina

Mauro Ribeiro é eleito presidente do CFM e defende valorização dos médicos e da Medicina


O representante dos médicos do Mato Grosso do Sul, Mauro Luiz de Britto Ribeiro foi eleito para o cargo de presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), em Sessão Plenária realizada nesta terça-feira (1º/10), em Brasília. Logo após o resultado da votação, ele relembrou sua trajetória de dez anos na autarquia e afirmou ter otimismo diante dos desafios a categoria enfrenta.

Ribeiro defendeu o ético exercício da Medicina e reiterou a importância da unidade no sistema conselhal. O novo presidente declarou ainda que a entidade continuará a se empenhar na defesa do ato médico, do Sistema Único de Saúde (SUS) e da qualidade do ensino médico no país. “Investiremos mais em fiscalização, em comunicação e em abertura de espaços políticos no Congresso Nacional, sempre em prol de pautas da categoria médica”, afirmou.

O novo presidente também destacou o prestígio da Autarquia no País, tendo papel fundamental em debates sobre inúmeros temas relacionados à saúde e à medicina, como os critérios para definição de morte encefálica, das regras de reprodução assistida e das diretivas antecipadas de vontade.

Cirurgião-geral, Ribeiro formou-se pela Faculdade de Medicina de Petrópolis (RJ), em 1984, e fez residência em Cirurgia Geral no Hospital Souza Aguiar (RJ), além de ter cursado pós-graduação no Hospital Monte Sinai, em Nova Iorque (EUA). Ele presidiu o Conselho Regional de Medicina do Estado do Mato Grosso do Sul (CRM-MS) de 2005 a 2007; e foi 1º vice-presidente do CFM entre 2014 e 2019, onde coordenou o Departamento de Comissões e Câmaras Técnicas. Neste último período, teve atuação destacada em áreas ligadas ao direito médico, urgências e emergência e ensino médico, entre outras.

Com a votação da chapa única que se apresentou em plenário foram confirmados ainda os seguintes conselheiros como diretores do CFM: 1º vice-presidente, Donizetti Dimer Giamberardino Filho (PR); 2º vice-presidente, Alexandre de Menezes Rodrigues (MG); 3º vice-presidente, Emmanuel Fortes Cavalcanti (AL); secretária-Geral, Dilza Teresinha Ambrós Ribeiro(AC); 1º secretário, Hideraldo Luís Cabeça (PA); 2ª secretária, Tatiana Della Giustina (RS); Tesoureiro, José Hiran da Silva Gallo (RO); 2º tesoureiro, Salomão Rodrigues (GO); corregedor, José Albertino Souza (CE); e vice-corregedora, Helena Carneiro Leão (PE). Também foram escolhidos membros da Comissão de Tomada de Contas do CFM, os conselheiros Anastácio Kotzias (SC), Ademar Carlos Augusto (AM) e Júlio Braga (BA).

Eleições – Entre os dias 26 e 28 de agosto, médicos de todo o Brasil participaram das eleições dos novos conselheiros federais. Cada Unidade da Federação elegeu um conselheiro federal efetivo e outro suplente.

As regras gerais do pleito foram previstas na Resolução CFM nº 2.182/2018, cabendo aos conselhos regionais operacionalizar o processo a partir das Comissões Regionais Eleitorais (CRE), designadas pelo plenário de cada CRM.

O voto foi obrigatório para os médicos inscritos nos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) e com direitos políticos e profissionais assegurados, sendo facultativo para os eleitores com mais de 70 anos. Considerada a inscrição principal, 413.054 médicos estiveram aptos a votar nestas eleições para o CFM.

As médicas representaram 46% dos eleitores aptos e a faixa etária predominante, nestas eleições, também foi dos médicos (de ambos os gêneros) com até 40 anos de idade (45,7%)